Farmácia

Biologia

Farmacotécnica

Química

Biofísica

Fisiologia Cardiovascular - Distensibilidade e Complacência


Distensibilidade


Os vasos mais distensíveis do sistema são as veias. 
Por isso servem como um grande armazenamento de sangue extra que pode ser usado quando necessário.

Os vasos distendem com o aumento da pressão.

A distendibilidade de um vaso é calculada pela fração de volume que aumenta no vaso para cada aumento da pressão, sendo a fórmula:

Distensibilidade vascular = aumento do volume/ aumento da pressão X volume original

Ou seja, se 1 mmHg fizer um vaso que antes podia conter 10 mililitros de sangue, passar a ter 11 mililitros de sangue, portanto o aumento é 1 mililitro. A distensibilidade será 0,1 por cada mmHg ou 10%.



* Distensibilidade das artérias: Como a parede muscular das artérias é mais grossa, faz delas mais fortes e menos distensíveis.

Isso quer dizer que um aumento da pressão geralmente provoca aumento cerca de 8 vezes mais do volume de sangue dentro das veias em comparação ao aumento dele nas artérias.



Complacência Vascular


Complacência vascular = Capacitância vascular 
(capacidade de suportar quantidades de sangue)


Complacência vascular é a quantidade de sangue total que pode ser armazenado por uma determinada região da circulação para cada milímetro de mercúrio.


*Fórmulas:

Complacência vascular = Aumento do volume/ Aumento da pressão.

Ou seja, uma maior complacência vascular, significa que pode-se passar um maior volume de sangue em determinado circuito ou vaso, porque a pressão exercida sobre o sangue naquele local está baixa.


* Outra fórmula para calcular complacência vascular:

Complacência vascular = Distensibilidade X volume

Ou seja, uma veia é cerca de 24 vezes mais complacente que uma artéria, porque sua distensibilidade é 8 vezes maior e ela pode suportar um volume bem maior, no caso 3 vezes mais volume, 8 x 3 = 24.



Relação entre Volume e Pressão


Percebe-se que o aumento da pressão sanguínea faz os vasos distenderem (aumento do diâmetro desse vaso) aumentando assim a complacência vascular (o volume de sangue dentro desse vaso).
Isso ocorre com o intuito do aumento da pressão não ser tão brusco (tentando reduzi-lo) e como um mecanismo para que esse vaso não rompa.

Porém o aumento da pressão em relação ao volume têm uma grande variação dependendo do tipo de vaso que ocorre.

* Aumento da pressão em artérias:

O aumento do volume de sangue, mesmo que pequeno, nas artérias faz com que a pressão aumente acentuadamente. 
Isso ocorre devido a baixa capacidade de se distender da musculatura lisa que compõe as artérias.

- OBS:
Levando em consideração a fórmula de distensibilidade:



Distensibilidade vascular = aumento do volume/ aumento da pressão X volume original

Se você aumentar o volume em um vaso, para se manter a pressão próxima ao que estava antes, esse vaso terá que ter uma alta distensibilidade.


*Aumento da pressão em veias:

Já o contrário ocorre com as veias.
O aumento do volume pode ocorrer em grandes quantidades até que se haja uma modificação significativa na pressão sanguínea nesses vasos.
Isso ocorre devido a alta distensibilidade das veias, ou seja, devido ao fácil aumento de seus diâmetros.

Então o aumento da pressão, devido a um aumento do volume de sangue, força a esses vasos se distenderem, isso se chama complacência tardia (ocorre dentro de minutos ou horas após o aumento de volume e pressão no vaso, as fibras se relaxam e o diâmetro do vaso aumenta).

Por exemplo, uma veia (com suas duas extremidades fechadas) com a pressão sanguínea de 5 mmHg pode ter essa pressão aumentada até 12 mmHg com a injeção de mais sangue, porém alguns minutos depois sua pressão cai em torno de 9 mmHg.

A complacência do vaso aumenta não permitindo um real grande aumento dessa pressão.


Essa relação pode ser vista mais claramente através do gráfico:




Figura retirada do Guyton - Tratado de Fisiologia médica 11a ed.

Através dessa figura observamos que a 100 mmHg que é a pressão arterial média de um adulto, o volume é cerca de 700 mililitros de sangue dividido por todo o sistema arterial, que inclui grandes artérias, pequenas artérias e arteríolas.

Como visto anteriormente o maior volume sanguíneo está presente nas veias (sistema venoso).

E para ele como se pode ver, é necessário uma elevação do volume para muitas centenas de mililitros para aumentar a pressão venosa cerca de 3 a 5 mmHg.
Isso explica por exemplo o fato que se sabe que uma pessoa saudável pode receber até meio litro de sangue a mais, sem haver alterações na circulação.



* O estimulo da atividade simpática faz com que haja uma contração das paredes dos vasos (aumento do tônus muscular), isso resulta em um grande volume de sangue sendo enviado ao coração, o que é um dos mecanismos mais utilizados pelo organismo para aumentar o bombeamento cardíaco.
Durante hemorragias por exemplo, devido ao controle simpático, a capacitância vascular é diminuída, podendo a função circulatória se manter quase normal, mesmo com 25% de sangue total a menos.


A arteriosclerose, doença comum da velhice, faz com que os vasos sejam relativamente não-complacentes, o que faz a pressão arterial por exemplo durante a sístole aumentar.

1 comentários:

Antonio Cavasana disse...

muito bom!!

Postar um comentário