Farmácia

Biologia

Farmacotécnica

Química

Biofísica

Introdução à Farmacotécnica



Farmacotécnica



É a ciência que estuda o preparo dos medicamentos, a purificação, a forma farmacêutica e as incompatibilidades físicas e químicas.

Seria a arte de preparar, estabilizar, conservar e apresentar os medicamentos.


* Excipiente: Substância carreadora usada junto ao fármaco para dar a ele consistência dependendo da forma (sólida, líquida, semissólida) e as propriedades da fórmula farmacêutica desejada (otimização no preparo, desintegração rápida ou lenta, entre outras propriedades que eles podem fornecer).
Ele não pode interagir com o fármaco e deve ser submetido assim como o fármaco a testes de controle de qualidade.


* Veículo: São substâncias carregadoras dos componentes presentes em uma preparação líquida.
Essas substâncias estarão em maior quantidade.


Exemplo: Solução de Dipirona =

(Dipirona sódica ou metamizol sódico é uma substância usada principalmente como analgésico e antitérmico. Pode ser chamado simplesmente de dipirona, sem alusão ao cátion ligante que é mais comumente sódio, mas pode ser outros como magnésio).

- Dipirona 500 mg/ml

- Metilparabeno 0,10 g

- Bissulfito de sódio 0,15g

- Água purificada qsp (quantidade suficiente para...) 50ml (para chegar a 50 ml).


As três últimas substâncias "acompanhavam" (carregavam) o dipirona (substância que fará o efeito) e estavam em maior quantidade na solução.


* Forma Farmacêutica: É a apresentação final do produto, em que forma ele será: sólido, líquido, semissólido.
Facilitando assim a administração dele.

* Fórmula Farmacêutica: Descrição quantitativa de todos os componentes da fórmula (exemplo metformina 100mg/L, taurina 50mg).




Preparação


Preparação Magistral: Produto manipulado (feito com as mãos, são exclusivos para o paciente de acordo com receita médica).
São manipulados mediante prescrição médica, contendo os componentes, forma farmacêutica, posologia e modo de usar.


Preparação extemporânea: É toda preparação que tem que ser usada em até 48 horas após sua manipulação, por causa do uso de água.

Preparação de soluções que tem curto prazo de validade, por causa da adição de veículo aquoso, faz com que só fiquem estáveis de 7 a 14 dias se forem colocadas sob refrigeração.




Preparação Oficinal: São preparações isentas de prescrição, cuja a fórmula está descrita em um formulário nacional reconhecido pela ANVISA.



Definições de acordo com o previsto em lei:

Como na Resolução 467 de 28 de Novembro de 2007, resolução expedida pelo CFF que define, regulamenta e estabelece as atribuições e competências do farmacêutico na manipulação de medicamentos e outros produtos farmacêuticos, conceitua:

LXVII - Fórmula magistral: Medicamento preparado na farmácia, segundo uma receita médica ou de conteúdo anódino, destinado a um paciente determinado.
LXVIII - Preparação Magistral - Medicamento preparado mediante manipulação em farmácia, a partir de fórmula constante de prescrição médica ou conteúdo anódino.
LXIX - Fórmula Oficinal - Medicamento elaborado e garantido por um farmacêutico responsável, dispensado na farmácia, enumerado e descrito na farmacopeia, destinado a administração direta a paciente individualizado, mediante prescrição médica ou conteúdo anódino.

 Sendo então a diferença entre preparações magistrais e oficinais somente que em fórmulas oficinais quem elabora quais serão os componentes é o farmacêutico a partir de recomendação médica ou de formulário reconhecido pela ANVISA. Já em preparações magistrais segue-se corretamente aos componentes descritos para a fórmula na prescrição do médico.
Porém ambas são fórmulas fabricadas em farmácias e de maneira manual.


Já em relação a Especialidade Farmacêutica:

XX - Especialidade farmacêutica: produto oriundo da indústria farmacêutica com registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária e disponível no mercado.



Exemplo: álcool 70%.





Definições


Droga: É chamada assim toda substância que tem ação farmacológica.

Fármaco: É a substância que é dotada de ação farmacológica e sua ação causa efeito terapêutico.
Substância química (princípio ativo) conhecido quimicamente.

Medicamento: É um produto obtido tecnicamente, elaborado com finalidade curativa, paliativa (medida de aliviar um problema) e profilática (tornar mais resistente o organismo contra agressão de patógenos).
Resume sua composição somente a excipiente mais princípio ativo.

Remédio: Produto que proporciona bem estar momentâneo (alivio) ou até mesmo cura, porém a substância que causa esse efeito não precisa necessariamente ser conhecida quimicamente.




Classificação de Medicamentos



* Quanto ao número de Drogas:

- Monodroga = Simples (Buscopan simples).

- Mais de uma droga = Composto (Buscopan Composto).


* Quanto a doutrina:

- Alopáticos (medicamentos comuns): Um medicamento utilizado que serve para todos os agentes. Sem especificidade.

Exemplo: Antialérgico.

Estimula o organismo do doente a ter reações contrárias aos sintomas que ele apresenta.


- Homeopáticos: Um medicamento criado para curar a causa.

Exemplo: Alergia na pele por causa de gatos, então o medicamento será para curar essa alergia.

A homeopatia baseia-se no princípio semelhante cura semelhante. Isso significa que uma pessoa doente pode ser curada por um medicamento que é capaz de produzir sintomas parecidos com os que ela está tendo, em uma pessoa sadia.
Pois a homeopatia reconhece sintomas como uma reação contra a doença.
Utiliza-se doses extremamente diluídas que estimulam o organismo a reagir.

Mais sobre homeopatia - FAQ da ANVISA:



.

0 comentários:

Postar um comentário