Farmácia

Biologia

Farmacotécnica

Química

Biofísica

Vias de Administração

Poderá ser uma administração:



Tópica


Efeito local.
A substância é administrada exatamente no local onde ela fará a ação esperada.


Algumas formas farmacêuticas mais comumente usadas para efeito local são:

- Pomadas (utiliza-se base oleosa).

- Cremes (utiliza-se base aquosa).

- Gel (utiliza-se base à álcool, pois o álcool evapora e o fármaco pode penetrar ainda mais inteiro).

- Spray.

- Solução como: colírios, gota nasal, gota otológica (para o ouvido).




Enteral

Efeito sistêmico (Não local).
Substância entra na corrente sanguínea, que a transporta e deixa agir pelo organismo até chegar ao local que vai exercer a ação esperada.
Recebe-se a substância por alguma parte do tubo gastrointestinal.


  • Via Oral:
Aceita pela população por não ser invasiva. Comodidade por poder ser feita a administração sozinho.
Também por essas vantagens, acaba sendo a via com mais erros de administração de todas, como erros de horários.

É considerada uma via segura, já que tem possibilidade de reversão caso ocorra excesso de ingestão, pois há a possibilidade de lavagem gástrica.


É uma via em que ocorre a biotransformação de primeira passagem (ou efeito de primeira passagem). Logo quando absorvido o fármaco para o sangue, ele não entra na circulação sistêmica, mas sim na circulação portal.
É então levado diretamente ao fígado que biotransforma parte dele, antes dessa dose poder chegar ao local de ação e exercer o efeito.


O fígado é considerado o principal local de metabolização (órgão com maior quantidade de enzimas), depois que o fármaco passa por ele, a parte metabolizada (transformada em outra substância) e a parte de fármaco ainda que não foi metabolizado, caem na circulação sistêmica.
Dessa vez na corrente sanguínea, a parte do fármaco que fará ação desejada irá ser levada por todo o corpo, podendo chegar até o local onde fará o efeito pretendido.


Alguns fármacos podem ser absorvidos no estômago, mas o principal local de absorção é no duodeno, devido a maior superfície (microvilosidades que as células do intestino apresentam).

A presença de alimentos no estômago pode retardar o esvaziamento gástrico, levando a degradação do fármaco pelo pH baixo do ácido clorídrico, deixando a dosagem de fármaco restante insuficiente para a absorção.

Fármacos como a penicilina são mais instáveis em meios ácidos sendo facilmente degradados. O revestimento entérico do fármaco é um alternativa para que ele suporte a passagem pelo estômago, além de poder evitar irritação gástrica.


* Formas farmacêuticas de administração oral são:


- Comprimidos (pó prensado).

- Drágeas: Comprimido revestido com sacarose (tira o gosto ruim e protege o fármaco).

- Cápsula: O envoltório protege o fármaco do suco gástrico.

- Xarope: Formulação a base de açúcar (para conservar).

- Solução oral: Fármaco dissolvido em líquido/solvente, normalmente água. Gotas orais, fracos menores.

- Suspensão: Partículas sólidas dispersas em um líquido (forma-se fases).

- Emulsão: Partículas líquidas dispersas num líquido que não se misturam (forma-se fases). Como óleo na água.

- Elixir: Preparação a base de álcool.




  • Via Retal:

Não é uma via aceita pela população.

É considerada a substituta da via oral. Para caso de vômito, paciente desacordado, entre outros.

Não é uma via invasiva.

Ocorre maior irregularidade de absorção, dificultando o cálculo de dosagem (quantidade de fármaco na corrente sanguínea), pois no reto existem uma grande quantidade de vasos sanguíneos.
Alguns desses vasos levam o fármaco direto para a circulação sistêmica e uma parte deles podem levar para a circulação portal, onde ainda parte desse fármaco sofrerá efeito de primeira passagem no fígado.


* Formas farmacêuticas que podem ser administradas via retal:


- Supositório.

- Enemas (líquido).

- Solução retal (líquido).



  • Via Sublingual:

Via mais rápida que a oral.

Não é invasiva.

Não ocorre efeito de primeira passagem, sabendo-se então com mais precisão a dosagem de fármaco.

Têm rápido acesso a veia cava do coração (onde vários fármacos de administração sublingual agem).


Exemplo a nitroglicerina quando administrada por via onde ocorre efeito de primeira passagem, é mais de 90% depurada, por isso é administrada por via sublingual.




Parenteral


Efeito sistêmico (Não local). 

Substância entra na corrente sanguínea que a transporta pelo organismo até chegar ao local que vai exercer a ação esperada.
Recebe-se a substância por qualquer outro meio que não seja pelo trato digestivo.


  • Via Intravascular:

É a via mais rápida, pois não ocorre absorção. A substância é administrada diretamente na corrente sanguínea.

Possibilita saber exatamente a quantidade de fármaco na corrente sanguínea, sua total biodisponibilidade.

Não pode ser administrado substâncias oleosas.


Evita o efeito de primeira passagem, mas o fármaco administrado não pode ser retirado por carvão ativado ou êmese em caso de administração de altas doses, pode causar hemólise em caso de injeção muito rápida e pode haver introdução de micro-organismos junto.


* Formas farmacêuticas para fazer administração de fármacos por via endovenosa:


- Injetável: É a forma de administração mais perigosa por ser um procedimento invasivo, e nesse caso ainda, agir na hora e haver menor possibilidade de reversão.



  • Via Intramuscular, Subcutânea e Intradérmica:

A via intramuscular é a administração da substância em uma camada mais funda, mas onde ainda teria que haver absorção para a corrente sanguínea, mas por ser em uma camada mais profunda, a intramuscular, essa absorção ocorre mais rápida.


Normalmente é utilizado solução aquosa onde a absorção é mais rápida, pois a medida que o veículo se difunde para fora do músculo o fármaco que estava suspenso precipita e se dissolve entrando nas células. Mas para difusões lentas com efeitos prolongados usa-se veículos não aquosos.

A subcutânea além de uma administração, injeção da substância em uma camada intermediária tem velocidade de absorção também mediana em comparação as outras duas.


É utilizada muitas vezes para administração de fármacos como a lidocaína que é um anestésico e junto se aplica doses de mínimas de adrenalina, visando seu efeito vasoconstritor, dificultando a absorção e mantendo a lidocaína mais tempo fazendo seu efeito de anestésico local.

E a intradérmica seria na parte mais externa e é a que a absorção é mais demorada.


* Formas farmacêuticas para administração de fármacos por essas vias:

 
- Injetável.



  • Via Pulmonar:

É a via onde ocorre a absorção mais rápida. Essa absorção ocorre pela mucosa respiratória.

O início de efeito por essa via também ocorre bastante rápido, devido a sua rápida absorção, só não é a via de efeito mais rápido porque perde para a via intravascular (endovenosa).

Pode ocorrer administração de fármacos por inalação considerados de uso tópico, pois o local da ação desse fármaco seria o próprio pulmão. Como em medicamentos para asma.


* Formas farmacêuticas de administração pela via pulmonar:

 
- Gás (como gás anestésico).



  • Via Transdérmica:

Local de administração é sobre a pele ou mucosas e o local de ação será sistêmico.

Absorção e efeito demorado e prolongado.


* Formas farmacêuticas:


- Adesivos como os de nicotina e anticoncepcionais.

- Pomada anticoncepcional.

3 comentários:

Caroline Cury disse...

Artigo muito interessante, mas tenho uma dúvida.
Por que a via sublingual é enteral, se não possui efeito de primeira passagem, por não passar pelo intestino?

Ana Carla Freire Gonçalves disse...

Porque ela não é administrada intravenosa, parenteral são medicações endovenosas, tendo essa via total biodisponibilidade.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário